Movies

Marilyn Monroe

Sessenta curiosidades sobre um dos maiores ícones da história de Hollywood, que morria há exatos 60 anos

Texto por Carolina Genez

Fotos: Reprodução

Seja você uma pessoa cinéfila ou não, com certeza sabe quem foi Marilyn Monroe. A atriz, modelo e cantora é um dos maiores ícones do cinema e da cultura pop do século 20, considerada por muitos um dos maiores símbolos sexuais da sétima arte desde que começou sua trajetória nos filmes no final da década de 1940.

Após seu primeiro trabalho no cinema a carreira de Monroe cresceu muito rápido. Com isso vieram também diversos problemas com drogas e remédios, perseguição política, além de confusões que afetavam seu dia a dia, já que a mídia constantemente estava de olho em sua vida privada. A maior destas confusões estava intimamente ligada ao poder: era o seu envolvimento com os irmãos John e Robert Kennedy, respectivamente presidente da república e procurador-geral dos Estados Unidos naquele começo dos anos 1960.

A carreira em Hollywood, embora impressionante, teve um fim rápido e repentino devido à morte de Marilyn na noite de 4 de agosto de 1962, aos 36 anos de idade. Apesar disso, até os dias de hoje ela se mantém como um dos grandes marcos culturais do ocidente e também como um dos principais símbolos femininos das últimas décadas.

Para arcar os 60 anos da morte de Marilyn, o Mondo Bacana apresenta 60 curiosidades sobre ela.

Marilyn como modelo antes da fama no cinema

>> Ela nasceu no dia 1 de junho de 1926, em Los Angeles, sob o nome de Norma Jeane Mortenson. Mesmo já sendo conhecida havia anos pelo pseudônimo de Marilyn Monroe, a atriz só mudou legalmente o seu registro em 1956.

>> Marilyn Monroe, entretanto, não foi a única alcunha utilizada em sua trajetória profissional. Outros nomes ao longo de sua carreira como atriz e modelo foram Jean Norman, Mona Monroe, Zelda Zonk, Faye Miller e Jean Adair.

>> Apesar de sempre se mostrar feliz em público, os primeiros anos de sua vida foram extremamente tristes. Norma Jeane cresceu em orfanatos e passou por várias famílias, já que sua mãe tinha problemas psiquiátricos e fora internada algumas vezes.

>> Apesar disso, parte da paixão pelo cinema nasceu graças à sua mãe, que trabalhava nos estúdios RKO na parte de edição de filmes, cortando os negativos.

>> Marilyn nunca conheceu seu pai.

>> A atriz divulgou em sua autobiografia incompleta, Minha História, que quando perguntava pelo pai sua mãe mostrava uma foto do ator Clark Gable. Por conta disso, associou a imagem de Gable à memória do pai.

>> Monroe atuou junto com Gable no longa Os Desajustados (1961).

Marilyn com Clark Gable em Os Desajustados

>> Em 1937, foi morar com uma amiga de sua mãe. Com ela permaneceu até 1942 quando o marido de Grace McKee foi transferido para a costa leste mas o casal não tinha condições de levá-la.

>> Para fugir de vez do orfanato, Marilyn se casou com seu primeiro marido, James Dougherty, em 1942, aos 16 anos. Após dois anos de casamento Dougherty, que era da marinha norte-americana, foi enviado a Xangai e deixou-a sozinha. Em 1946, o casal se divorciou.

>> Ela se casou mais outras duas vezes: em 1954, com o jogador de baseball Joe Di Maggio; e em 1956, com o dramaturgo Arthur Miller.

>> Para a lua de mel, Marilyn e Di Maggio escolheram o Japão como destino, já que Joe tinha compromissos por lá. Marilyn, então, aproveitou seu tempo e foi visitar as tropas americanas que estavam na Coreia. Ali inda fez uma performance para os militares, momento esse relembrado sempre com muito carinho pela atriz.

>> O casamento com e Dimaggio foi extremamente abusivo e conturbado, já que o jogador tinha muito ciúmes da atriz e não gostava da fama atrelada à ela. O matrimônio durou apenas um ano.

>> Apesar disso, Marilyn foi o grande amor de Di Maggio e os dois mantiveram a amizade mesmo após o divórcio. O jogador foi o responsável por organizar o funeral da ex-mulher e ainda visitou seu túmulo por semanas, deixando-lhe flores. Um pouco antes da morte da atriz corria rumores que o casal iria se reconciliar.

Marilyn com Joe DiMaggio

>> Já o casamento com Miller durou cerca de cinco anos. Dele Marilyn se divorciou em 1961, após passar por um aborto;

>> Também durante o matrimônio com Arthur Miller, Monroe se converteu ao judaísmo.

>> Apesar de ter se convertido quando adulta, Marilyn cresceu seguindo uma religião conhecida como Ciência Cristã. Isso se deu porque uma das famílias com a qual ela passou ao longo da infância seguia esta religião.

>> Norma Jeane acabou se tornando conhecida trabalhando como modelo. Nesta atividade ela fez muito sucesso. Em 1946, com apenas 20 anos, já havia aparecido na capa de mais de 30 revistas.

>> Seu primeiro trabalho modelando foi para a revista Yank, quando foi fotografada por Davis Conover para uma matéria sobre trabalho feminino na produção bélica. Conover conheceu Monroe quando visitou uma fábrica, chamada Radioplane Company, onde a mesma trabalhava – já que durante a Segunda Guerra Mundial, seu marido havia sido convocado pelo exército. Diversas mulheres no período, assim como Marilyn, tiveram de trabalhar em fábricas para ganhar dinheiro e sustentar as famílias.

>> Em agosto de 1946, já como assinou com o estúdio 20th Century Fox um contrato de sete anos. Também foi nesse ano que ela decidiu platinar o cabelo para o seu loiro marcante, após a sugestão de sua agente. A inspiração veio da atriz Jean Harlow

Marilyn com Arthur Miller

>> Sua estreia no cinema veio com um pequeno papel no filme Sua Alteza, a Secretária (1947). Em seguida, a atriz atuou em outras duas produções: Idade Perigosa (1947) e Torrentes de Ódio (1948).

>> Contudo, os papéis nesses filmes eram muito pequenos e após o terceiro longa a Fox cancelou o contrato com ela. Depois de meses difíceis, Marilyn assinou um contrato com a Columbia Pictures, onde permaneceu por seis meses. 

>> Em 1948, em seu novo contrato, fez uma pequena ponta no musical Mentira Salvadora. Foi também neste período que começou a fazer aulas de canto. Mas o musical foi um fracasso e mais uma vez Marilyn teve o contrato cancelado, precisando recorrer novamente à vida de modelo.

>> Seu primeiro papel marcante foi em O Segredo das Jóias (1950), que conta a história de um ladrão que sai da prisão e elabora um plano de roubar 500 mil reais em jóias.

>> O estrelato só chegou um pouco mais tarde, com os filmes Almas Desesperadas (1952) e Torrente de Paixão (1953).

Marilyn em Os Homens Preferem as Loiras

>> Ainda em 1953 a atriz outros dois filmes que viriam a se tronar icônicos: Como Agarrar um Milionário e Os Homens Preferem as Loiras.

>> Seu papel em Os Homens Preferem Loiras ficou marcado como um dos mais importantes da atriz, principalmente pela cena com a música “Diamonds Are a Girls Best Friend”. Anos e anos mais tarde séries como Gossip Girl e Glee fizeram referências a esta sequência. O videoclipe de “Material Girl”, lançado em 1984 por Madonna também se baseou nela.

>> Monroe ganhou ao longo da carreira alguns prêmios, sendo o mais marcante deles o Globo de Ouro na categoria de melhor atriz em comédia ou musical (1960), por sua performance em Quanto Mais Quente Melhor, lançada no ano anterior.

>> Embora nunca tenha levado para casa um Oscar, Marilyn fez uma ponta em um dos mais badalados vencedores da categoria de melhor filme: A Malvada (1950). O longa bateu recordes na premiação, sendo indicado a 14 estatuetas. Isso deu uma enorme visibilidade a Marilyn em Hollywood. (28)

>> Conhecida por ser um grande símbolo sexual, Marilyn foi capa da primeira edição da playboy em 1953.

>> Hugh Hefner, dono da Playboy, nunca chegou a conhecer pessoalmente a atriz. Entretanto, sempre fora fascinado por ela, chegando inclusive a comprar o túmulo ao lado do dela por 75 mil dólares.

Marilyn em Quanto Mais Quente Melhor

>> Em 1955, Marilyn, em busca de se reinventar, cursou a escola de Lee Strasberg em Nova York. Ela queria provar que seu talento era muito maior que sua sexualidade.

>> Apesar de nunca ter sido reconhecida por isso, Marilyn Monroe era uma leitora voraz e adorava poesias. Inclusive, a atriz estudou literatura mundial na Universidade da Califórnia (UCLA). (32)

>> Marilyn abriu sua própria produtora, a  Marilyn Monroe Productions, em 1956. Não fez tanto sucesso nesta carreira por trás das câmeras. Ainda assim produziu Nunca Fui Santa (1956) e Príncipe Encantado (1957).

>> Em 1960, recebeu sua estrela na Calçada da Fama da Hollywood Boulevard, em Los Angeles. Ela fica localizada no número 6778.

Marilyn em O Pecado Mora ao Lado

>> A atriz também é considerada por muitos um símbolo da moda, graças ao seu estilo único com vestidos justos, que marcavam a cintura, e calças mais curtas, que deixavam seus tornozelos à mostra. O estilo da atriz é ainda referência no estilo de hoje, já tendo sido citado em diversos outros filmes, séries e videoclipes. O look mais famoso é o famoso vestido branco esvoaçante usado em O Pecado Mora ao Lado (1955).

>> O vestido usado por ela neste filme se tornou peça de colecionador. Em 2011, a peça foi leiloada pelo valor de 4,6 milhões de dólares;

>> Este mesmo vestido branco também é considerado por muitos como o estopim do divorcio entre Marilyn e Joe Di Maggio.

>> Ainda sobre sua influência na moda: o vestido preto usado pela atriz em dia 6 de outubro de 1954, quando se divorciou do jogador de baseball, foi leiloado em 2019.

>> Outro vestido marcante da carreira de Monroe foi a peça usada no evento do 45º aniversário de John Kennedy, realizado pelo Partido Democrata, no Madison Square Garden, em Nova York, no dia 19 de maio de 1962. Lá ela cantou “Happy Birthday, Mr President” na frente 15 mil pessoas.

>> Sobre esse episódio, um dos acontecimentos memoráveis foi a forma sensual que Monroe cantou a música para o presidente. Porém, a cunhada de Marilyn na época (irmã de Arthur Miller) despistou: a atriz estava atrasada e acabou ficando ofegante ao correr para subir no palco.

>> O vestido usado naquela noite foi feito especialmente para Monroe sendo do mesmo tom de sua pele. A peça recentemente foi envolvida em uma polêmica, quando Kim Kardashian usou-o no evento do Met Gala em 2022.

Marilyn na festa pública do aniversário de John Kennedy

>> A atriz ainda eternizou o perfume Chanel Nº 5, quando declarou que duas gotinhas do perfume era a única coisa que usava para dormir.

>> A constante pressão, tanto do trabalho quanto da mídia, fizeram a atriz entrar em uma depressão, recorrendo a remédios e ao álcool. O escritor Norman Mailer, que escreveu o livro Marilyn Monroe: A Biography, relata que Monroe teve pelo menos doze abortos por conta de toda essa pressão.

>> Marilyn passou um tempo internada no Sanatório Rock Haven para lutar contra a depressão.

>> Ao longo de seus anos finais, teve um caso com os irmãos John e Robert Kennedy, que acabaram sendo grandes frustrações na vida da atriz e também uma das razões que a levaram à depressão.

>> Seu caso com os Kennedy foi algo extremamente polêmico, visto que John era o presidente dos Estados Unidos e Robert era Procurador-Geral. Inclusive, muitas teorias conspiratórias acreditam que os irmãos estariam de alguma forma envolvidos em sua morte. Um dos principais argumentos apresentados sobre esse envolvimento é que a morte da atriz seria uma “queima de arquivo”, já que ambos os irmãos confiam a Monroe assuntos extremamente secretos relacionados ao governo.

>> Marilyn já havia sido, inclusive, investigada pelo FBI por uma possível relação com o comunismo. O caso ocorreu durante a Guerra Fria, quando a atriz pediu um visto para entrar na União Soviética. Além disso, alguns burburinhos da época, diziam que Marilyn mantinha amizades com pessoas consideradas comunistas pelo sistema macarthista e de extrema-direita dominante na política norte-americana da época. O FBI apenas desistiu dessa suspeita em 1962.

>> O ex-marido de Monroe também foi investigado por atividades comunistas. Na época, Arthur Miller ainda não estava casado com Marilyn. Mas a atriz, mesmo assim, arriscou sua carreira para falar a favor dele durante as audiências.

Marilyn em Nunca Fui Santa

>> Marilyn participou de mais de 25 filmes em 17 anos de carreira como atriz.

>> Seu último filme completo foi Os Desajustados, lançado em 1961. A atriz ainda atuaria em mais um longa em 1962, batizado Something’s Got to Give. Esta produção, porém, nunca foi finalizada.

>> Foi também no período em que rodou Os Desajustados que Marilyn teve um breve caso com outro grande nome da indústria norte-americana do entretenimento, o cantor e ator Frank Sinatra. Os dois se conhceram em 1954, quando ambos ainda eram casados. O relacionamento estava começando a ficar sério a ponto dele já pensar em pedir a sua mão. Contudo, seu o advogado o convenceu a não fazer isso, já prevendo o destino trágico da atriz e sob o pretexto de que Sinatra ficaria conhecido como “o homem responsável pela morte de Marilyn Monroe”. Esta, pelo menos, é uma das versões que rodam por aí em biografias já publicadas sobre ambos. A segunda é a de a atriz não havia aceitado porque estava na expectativa de reatar o romance com DiMaggio.

>> Marilyn Monroe faleceu aos 36 anos, em sua casa, na cidade de Los Angeles, no fim da noite de 4 de agosto de 1962. Chegou a ser levada ao hospital, ainda na madrugada do dia seguinte, mas chegou lá já sem vida. 

>> A morte da atriz, embora seja dada como caso fechado, gerou diversas polêmicas ao longo dos anos. O caso, inclusive, foi reaberto em 1980, porém mantendo o mesmo resultado de que a atriz não fora assassinada, mas sim morrera por overdose de barbitúricos.

>> A inexistência de uma carta de despedida em seu quarto, junto ao corpo, não possibilita dizer se a morte de Marilyn foi acidental ou provocada por ela própria.

>> Um dos seus grandes sonhos era ter filhos. Infelizmente, ela morreu sem realizar tal desejo.

Ana de Armas como Marilyn na cinebiografia Blonde

>> No ano de 1999 ocorreu o primeiro leilão de objetos de Marilyn. Um dos objetos foi seu piano branco de cauda, comprado pela cantora Mariah Carey por 662 mil dólares. 

>> O piano branco da era um presente dado a ela por sua mãe e havia sido vendido logo após um surto da atriz. Marilyn conseguiu recuperá-lo e o manteve na sala de casa até o dia de sua morte.

>> Ainda em 1999, Marilyn foi escolhida pela revista People como a Mulher Mais Sexy do Século.

>> A Netflix lançou neste ano o documentário O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas, baseado no trabalho do jornalista Anthony Summers, que investigou a vida dela durante a década de 1980, quando o caso de sua morte foi aberto. Leia a resenha deste filme clicando aqui.

>> Para marcar os 60 anos da morte da atriz, a mesma Netflix lançará o filme Blonde, baseado na biografia assinada por Joyce Carol Oates. O longa-metragem estreia no dia 28 de setembro e tem Ana De Armas como Marilyn Monroe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s